quinta-feira, Maio 31, 2007

Passou de verde a maduro...

Terceira Parte Uns tempos depois (comemoração dos 6 meses de Blog) achei que o meu Blog já não deveria ser verde... Já estava mais para o maduro. Mudei tudo!
O texto lá em cima também não foi sempre aquele...
Estes foram alguns dos textos que lá estiveram também durante algum tempo:

«Dar vida a um filho é um dos maiores milagres que existe. A forma como duas células se convertem num novo ser é um acto que não deve deixar de admirar-nos e recordar-nos a grande responsabilidade que representa trazer um bebé ao mundo. Foi assim que, a 12 de Setembro de 2004 nasceu...o Tiago.»

«Hoje, olho para os meus pais e sinto-me orgulhoso (e babado também). Penso que eles não se saíram nada mal no papel de papás...
Nasci no dia 12 de Setembro de 2004, pesava 3,080Kg e media 47,5cm.»

Os caracóis que vocês tanto gostam e que também representam o meu cabelo encaracolado, também não estiveram sempre por aqui.
Chegaram no dia 19 de Junho e foram-se mantendo... Demoraram quase um mês depois de iniciado o blog, mas afinal são caracóis, não podiam vir mais depressa!
Estes caracóis, que despertaram tanta curiosidade e que fizeram com que eu recebesse tantos emails a perguntar a sua proveniência, mesmo de pessoas que não nos costumam visitar, têm uma história engraçada:
No ano lectivo em que a mamã engravidou foi colocada a 52Km de casa, numa escola de lugar único (quer dizer que só tem uma turma com os 4 anos de escolaridade).
Como perdeu sangue principalmente dutrante o início da gravidez, os papás não contaram a ninguém até aos 3 meses de gestação pois não queriam que se festejasse antes de ter a certeza que estava tudo bem comigo.
Nessa escola foi colocado um professor de apoio (embora não a tempo inteiro) para ajudar a mamã. Esse professor tinha vindo da Madeira (lá estão as ilhas novamente!).
Era casado e tinha um filho pequeno. Talvez por isso (sensiblidade para o assunto), um dia a meio de uma aula, chegou-se ao pé da mamã e disse-lhe baixinho para os alunos não ouvirem:
«Estás grávida? É que de repente olhei para ti de perfil, e pareceu-me...»
É claro que a mamã não desmentiu, não dava mesmo!
E o sigilo foi cumprido até a mamã dar finalmente a notícia às pessoas que estavam relacionadas com a escola (funcionários da Junta, colegas das outras escolas, ATL e aos alunos).
Devido à boa relação que tinha com aquele professor trocaram CD's de fichas e materiais de trabalho.
Num desses CD's vinha então esta colecção de amorosos caracóis, tirados nunca se saberá ao certo de onde pois quando a mamã os descobriu já tinha acabado o ano lectivo...

A música de hoje é «Fico assim sem você» de Adriana Calcanhotto.

*****
E, de acordo com a Semana da Cor no meu infantário, hoje fui de VERMELHO.

Foto excluída.
Epá, vocês não imaginam o fartote de rir que foi aqui em casa ontem à noite.
Estive a fazer «ninasca» com o meu pai.
Jogámos à bola na sala e ele ensinou-me a fazer «pintas» (ou «pinturas» quando gritei: «mãe anda ver o Tiago a fazer pinturas») e a marcar «bolos»!

Atenção:
Onde se lê «ninasca» deve ler-se «ginástica»;
Onde se lê «pintas» deve ler-se «fintas»;
Onde se lê «bolos» deve ler-se «golos».

Eu ontem também disse: «a mãe parece um candeeiro» quando ela saiu do banho com uma toalha embrulhada na cabeça mas isso já ela não achou muita piada...

Precisamente às 5h da manhã ouviu-se um estrondo e depois comecei a chorar... Caí da cama!

Queria ir ter com os papás mas eles é que vieram ter comigo. E vieram tão depressa que acho que vou utilizar esta técnica mais vezes!
Não me magooei.

quarta-feira, Maio 30, 2007

E o Blog foi crescendo...

Segunda Parte Além das filmagens tornadas filme, a mamã também é álbum-foto-dependente.
Tem álbuns desde que começou a namorar com o papá e isto já lá vão... quase 16 anos!
Todos os álbuns que fez com fotos minhas têm uma introdução, mês a mês.
Essa introdução foi utilizada para eu fazer os meus posts.
Um por mês (mais as datas importantes) até chegar à actualidade (Maio de 2006).
Foi então que o papá soube da existência do meu Blog.
Por azar o computador, na altura em que eu lho ia mostrar, bloqueou e teve que ser formatado!
Quando finalmente o papá viu e leu, gostou muito. Mas pelo que me apercebi ralhou com a mamã porque ela já andava cansada o suficiente... isto apesar de ela dizer que fui eu quem fez tudo!
No dia 28 de Maio (domingo) a mamã ajudou-me a enviar uns emails à família e amigos, o que tornou público o meu Blog.

«Olá a todos, queria dizer-vos que finalmente nasceu o meu blog. Podem acompanhar o meu crescimento e algumas aventuras em http://jacheguei.blogspot.com. Estou à espera dos vossos comentários. Beijinhos.
Tiago»

A versão original tinha o fundo verde. Deve haver quem ainda se lembre...

A música de hoje é «Don´t worry, be happy» de Bobby McFerrin
*****
E, de acordo com a Semana da Cor no meu infantário, hoje fui de COR DE LARANJA.
(Foi o que se pôde arranjar...)

Foto excluída.

terça-feira, Maio 29, 2007

Como nasceu este Blog...

Primeira Parte Este blog nasceu numa altura em que a mamã estava muito em baixo... Andava a tomar anti-depressivos, andava muito cansada e tudo lhe parecia correr mal.
Apesar de tudo, e como para qualquer mãe, era eu que fazia de doutor e lhe tratava dos dói-dóis (o papá era o enfermeiro). Como?
Com miminhos, com sorrisos, com pequenas alegrias... que tudo faziam esquecer...
A mamã tornou-se então assinante de outra revista sobre bebés, mas parecia-lhe muito pouco.
Descobriu os babyblogs e os trybabyblogs.
Liamos tudo e mais alguma coisa, tudo na clandestinidade...
Um dia tentámos criar um babyblog e não é que era fácil?
E o nome do blog?
Que tal «Já Cheguei?», afinal era o nome do DVD que os papás estavam a fazer sobre mim, no seguimento do DVD «Estou a Chegar!» feito durante a gravidez da mamã...
«Excelente!» (Pensei eu...)

Começou então a Blogoterapia...

Vale a pena recordar o primeiro post...

A música de hoje é «Retratamento» dos Da Weasel. Para saberem porquê basta clicarem no primeiro link deste post.

Não se esqueçam de clicar também aqui em cima, no planeta Terra...

*****
E, de acordo com a Semana da Cor no meu infantário, hoje fui de VERDE.

Foto excluída.

Adenda (10:37h) - Quando chegámos ao infantário o habitante da minha fralda gritou «olha a onda...» e pronto! A mamã mudou-me a fralda e tirou-me as cuequinhas (também verdes) pois já estavam encharcadas. Foi mesmo a tempo de não molhar as calças.

segunda-feira, Maio 28, 2007

Mudanças no Blog

Por fazermos um ano de aniversário no Blog:
Vamos entrar em mudanças por aqui lentamente... à velocidade de um caracol...
Vou mudar um pouco o texto lá em cima... o texto lateral... acrescentar umas coisas e retirar outras.
Algumas coisas vão sair de vez, outras apenas temporariamente.
Se tudo correr bem e não houver nada contra (se o Blogger deixar por exemplo), a mudança maior será no dia 3 de Junho (Domingo).
Isto porque festa que é festa não convém ser a um dia de semana (raves e assim...).
Obrigado a todos do fundo do coração...365 Dias
500 Posts
10828 Visitas
Tantos blogamigos e tantos comentários...
Espero que tenha valido a pena para vocês, para mim valeu!
Tenho-me divertido muito...

Agora liguem o som e curtam a música!
(Hoje Jump dos Van Halen)
A semana de festa começou!!

*****

E, de acordo com a Semana da Cor no meu infantário, hoje fui de AZUL.

Foto excluída.

Esta noite houve mará alta. Calculo que tenha vindo uma onda gigante e me tanha ensopado as calças de pijama, a camisola e principalmente a fralda...

domingo, Maio 27, 2007

Domingo

Hoje é dia de preguiça...
Dia de entrar sorrateiramente para a cama dos papás antes das 9h da manhã.
Dia de ficar quentinho algum tempo entre os dois, antes que acendam a televisão (para eu ver os bonecos) e depois de abrirem os estores.
Dia de miminhos e de «asneiras».
Dia de ver os papás sempre que quiser... basta olhar na direcção deles...
É dia de descansar e de não dar descanso...

sexta-feira, Maio 25, 2007

Semana da Cor

A semana que vem vai ser a Semana da Cor na minha sala do infantário.

Assim:
Segunda-feira - Vou vestido de AZUL
Terça-feira - Vou vestido de VERDE
Quarta-feira - Vou vestido de COR DE LARANJA ou AMARELO
Quinta-feira - Vou vestido de VERMELHO
Sexta-feira - Vou vestido de BRANCO (Dia da Criança)

Pode ser que assim todos consigamos aprender melhor as cores!
(Principalmente os adultos que nos estão sempre a contrariar...)
Vou tentar deixar a mamã tirar-me fotografias para ir colocando diáriamente...

Nota - Segunda-feira o meu/nosso Blog faz UM ANO!!

Comer

... adoro comer!

Será porque a mamã durante a gravidez não se privou de nada?
Ela era comida mexicana, italiana (massas e mais massas), portuguesa (bem portuguesa: feijão com grão, cozido à portuguesa... sei lá, não sei o nome das comidas!), angolana (moamba de galinha e de peixe...), israelita (pitas etc.), indiana (muito picante), FRUTA em salada de fruta ou de legumes (muita fruta: às vezes era às 6 laranjas de cada vez), enfim...
Não pensem que ela engordou muito, NÃO! A comida era mesmo para mim (ela engordou 12/13Kg).
Dois dias depois de eu nascer ela já tinha perdido 6Kg e 13 dias depois tinha menos 9kg.
Bom, não foi tudo para mim porque afinal só nasci com 3,o80Kg. Eu processava era muita comida...
Depois de nascer... só me davam leite. Acham normal? Está um gajo habituado a comer tudo do bom e do melhor e depois... leite com leite e mais leite?!
Pois claro que tive cólicas até aos 4 meses!
Ninguém aguenta tanta privação...
Depois queriam dar-me fruta! Como, se o meu estômago já estava desabituado?
Bom... já me distraí com a conversa...
Na noite em que nasci a mamã tinha jantado «atum com massa». Pelo menos foi o que ela disse à médica no meio das intermináveis perguntas enquanto as contracções já estavam de 4 em 4 minutos.
O papá (cozinheiro nessa noite) ficou muito ofendido. Mas a mamã disse-lhe que naquele momento não estava com paciência para dizer «tagliatelli gratinado com atum»!
A primeira refeição da mamã na maternidade foi Feijoada de Choco, mas essa já não provei... Acho que nem ela!

quinta-feira, Maio 24, 2007

Mais um dia de trabalho

Ora aqui estou eu no meu escritório, hoje de manhã depois da minha motorista (mamã) me ter vindo trazer.
Todas as fotos foram tiradas em menos de 2 minutos... Ora isso quer dizer que sou bastante rápido a despachar trabalho...

Não dispenso uma soneca depois de almoço, mesmo que seja o último a adormecer e o primeiro a acordar (como sempre foi). Aliás porque um bom chefe não dorme, apenas fecha os olhos para descansar.

Lá para o meio-dia tenho um almoço de equipa e depois lá para as 15:30h tenho uma reunião enquanto lancho.
Agora deixo aqui uma fotografia panorâmica do meu local de trabalho. Utilizamos um open-space (ou escritório de equipa) pois assim acreditamos que conseguimos manter uma melhor relação entre os funcionários.

Todas as fotoas excluídas.

Trabalho árduo o meu...

quarta-feira, Maio 23, 2007

Digo tanta coisa...

Digo «Ó óu!» quando acho que vou ter piada (e às vezes até acerto!)

...m n o p q r SHREK t u v x z
(o nome da letra S ainda continua a ser o mesmo, o das outras letras ainda não sei)

Os números no entano, continuam todos a chamar-se SETE

«Córror!» (que horror!) - disse eu quando a mamã me ia mudar a fralda e eu sabia de antemão que havia um «presente» para ela...
(esta palavra, nesta altura específica, só poderia ter sido importada do infantário...)

terça-feira, Maio 22, 2007

Mas porque é...

...que continuo a dizer «pateta» em vez de pá?
(Vai ser bonito agora no Verão ir de balde e pateta brincar na areia da praia!)

...que continuo a contar 1, 2, 3, ... enquanto a minha comida está a aquecer no microondas?
(Será um género de ultimato?)

...que continuo a dizer «garrafa» em vez de gravata?
(O meu pai todos os dias leva uma garrafa diferente para o trabalho!)

...que continuo a dizer «rabô» em vez de robot?
(Faço com cada «rabô» mais «gio» com legos!)

...que continuo a dizer «bibon» em vez de biberão?

...que continuo a dizer «cenoura do coelho» em vez de apenas cenoura?

...que ontem não me lembrei de dizer «tóim, tóim, tóim...» enquando saltava ontem pela casa, e quando a mamã me lembrou continuei a achar mais graça a dizer «tinhóc, tinhóc, tinhóc...»

...que no outro dia no meio de uma «descasca» que a mamã me deu por ter espirrado para cima dela com a boca cheia de bolacha (estavamos de saída para o infantário), quando ela me perguntou zangada «a mãe é má?» eu respondi «não, a mãe é amiga»

(Esta resposta acho que sei, porque queria muitos beijinhos a seguir, e consegui!)

domingo, Maio 20, 2007

sábado, Maio 19, 2007

Eu...

Fui desafiado pelo David pestileca e aqui vai: Eu quero: tudo de bom para a minha família e amigos
Eu tenho: uns pais que me amam acima de tudo
Eu acho: que devia passar mais tempo com os meus papás
Eu odeio: que me contrariem porque aí tenho que os contrariar
Eu sinto saudades: dos meus tios
Eu escuto: atentamente quando me estão a ensinar palavras novas (o que não quer dizer que as diga bem...)
Eu cheiro: o perfume que a mamã me põe todos os dias
Eu imploro: por BOLACHAS!
Eu procuro: ser bem comportado (Epá! Mas não consigo!!)
Eu pergunto-me: «a ôta casa?»
Eu arrependo-me: de não ter começado este Blog há mais tempo
Eu amo: a mamã, o papá e o Sushi (e toda a família a amigos da família)
Eu sinto dor: quando levo uma vacina (felizmente agora só daqui a uns anos)
Eu sinto falta: de crianças à minha volta sem ser no infantário (Ide e multiplicai-vos)
Eu me importo: de dar beijinhos (beijinho numa bochecha, depois na outra e a última aquisição: um abracinho bem apertado)
Eu sempre: faço chichis de litro
Eu não fico: cansado de comer
Eu acredito: nos meus pais
Eu danço: quaqluer coisinha...
Eu canto: a prestações (só digo algumas palavras das músicas)
Eu choro: quando não consigo o que quero
Eu falho: mas «o Tiago é forte» e volta a tentar
Eu luto: ou seja sou persistente, também chamado vulgarmente de teimoso e «cabeça-dura»
Eu escrevo: todos os dias no meu Blog e adoro!
Eu ganho: quando me porto bem (beijinhos, prendas, BOLACHAS...)
Eu perco: quando faço birras
Eu nunca: digo que quero fazer chichi ou cocó (isso é muito muito pessoal e ninguém tem nada que saber)
Eu confundo-me: quando há mais que um Tiago por perto
Eu estou: eléctrico
Eu sou: «forte» e «lindo»
Eu fico feliz quando: os meus papás se riem
Eu tenho esperança: que vou continuar a ser feliz
Eu preciso: de controlar as minhas birras
Eu deveria: deixar de comer tantas bolachas (sou bolachó-dependente, deveria inscrever-me nos Bolachólicos Anónimos)

Desafio os Blogs:
És a nossa vida; Uma história de amor; Uma gaiata quase mulher; Princesa Madalena e O meu Blog

sexta-feira, Maio 18, 2007

Tiagóvirus

Cá em casa está a adoptar-se a minha linguagem como se fosse um vírus:

Mamã - Não queria nada ter que fazer o jantar...
Papá - Qués, quéeeeess...

Papá - Vai lá buscar uma chucha.
Mamã - Não quéio!

Papá - Queres ver um filme?
Mamã - Ximmmm!

Adoro brincar com peças do género Lego.

Faço construções incríveis e inimagináveis pelos criadores das próprias peças...

No outro dia e apesar de ninguém me ter perguntado/pedido baptizei a minha última criação:

«caranguejo da cabeça partida!»

Aposto que os papás pensaram «realmente não poderia ser outra coisa!»

Que pena a construção ter durado tão pouco tempo... Poderia ter tirado uma foto...

quinta-feira, Maio 17, 2007

Banho a dois

A mamã diz que não deve ser normal ver um pai aos pulos (em pés juntos) atrás do filho (na mesma figura), enquanto se dirigem para a casa de banho para tomarem banho juntos, cantando em uníssono:
«Tóim, tóim, tóim, ...»

Mesmo quando vai ser a primeira vez que vou tomar banho na casa de banho da suite, também chamada de «casa com porta e janela».
Adoro tomar banho com o papá!

Secção nostalgia - Em Maio de 2005 tinha 8 meses...

Nota - Está a aproximar-se a semana do Blog em Festa (já lá está o contador em cima).
Primeiro ano de vida do meu/nosso blog.
Não faltem... Vai ser uma semana cheia de novidades...

quarta-feira, Maio 16, 2007

Levantei-me e andei...

... ou pelo menos tentei!
Alguém sabe como é que se anda com uns ténis 14 números acima do nosso?
E com esta conversa dos aniversários de casamento dos papás e do meu baptismo, tenho as novidades para contar todas atrasadas...
Sabem como se afasta um puto como eu, de perto do papá ou da mamã, quando estão a fazer alguma coisa que eu não posso ver? (exemplo: mexer nas gavetas da sala).
«Vai lá ver se eu estou ali no quarto.» (ideia da mamã)
E eu, como sou bem educado até vou, e venho com resposta:
«Não, a mãe não tá no quarto.»
«Vai lá ver a cor das cuecas da mãe» (ideia do pai, claro está!)
E eu, lá vou... Baixo um pouco o pijama da mamã na zona do rabo e, embora não saiba as cores, venho na mesma com resposta (alta e em bom som):
«A mãe tem cuecas!»

terça-feira, Maio 15, 2007

O meu Livro de Honra

Como fez (mandou fazer) para o casamento dela, a mamã também fez (fazendo mesmo, pintando e isso...) um Livro de Honra para o meu baptizado.
Esse livro tem-me acompanhado desde esse dia em muitas datas especiais: aniversário, fim de ano lectivo, Páscoa...
Todos os que me conhecem sabem que numa ou noutra altura da festa, lá vem a mamã com o livro na mão para que todos possam deixar umas palavrinhas.
Apesar de fazerem de conta que não a vêem, ou de dizerem «agora não» todos acabam por escrever.

O primeiro a escrever foi o Frei Gonçalo:

«14 Maio 2005
Tiago, Tive a alegria de estar no casamento dos teus pais. Como testemunha por parte da greja pedi e recebi o compromisso que os unir perante Deus e perante a Igreja.
Desta união nasceste tu.
À tua mãe, que conhecei quando andávamos no liceu, prometi estar no casamento.
Agora ela, toda contente, com o teu pai, alargou a promessa aos frutos do seu amor:
Hoje, cá estamos nós no teu baptizado.
Os teus pais todos bonitos, e contentes, os avós, quatro vê só que sorte, os padrinhos e alguns amigos. Foste baptizado na mesma Igreja onde os teus pais se casaram. Agora, que te escrevo não tens outra preocupação que uma boa refeição quente e uma fralda limpa. Mas escrevo na esperança que daqui a uns anos, na altura da primeira comunhão ou do crisma, voltes a ler estas páginas e te sintas agradecido pelo dom da fé que te procurámos transmitir.
Faço votos que amanhã, um dia, em que nos encontremos já sejas um bom rapaz, crescido na estatura, em sabedoria e em graça. E, se não for antes, dá-me a alegria de estar no teu matrimónio ou quem sabe no Baptizado dos teus filhos.
Recebe um abraço daquele que te molhou a cabeça, querendo fazer o que faz a Igreja em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Frei Gonçalo»

Agora eu:
É impressão minha ou me querem casar, pôr a trabalhar nas obras, que tenha filhos, que vá p'ós copos?...
A mamã disse-me que na 1ª Comunhão se toma a óstia (tipo bolacha?)... Estou lá!
Enquanto escrevia estas palavrinhas a mamã aqui ao lado lembrou-se que o Gonçalo fez com ela, o Crisma e a Profissão de Fé...
Ai as anedotas que ele costumava contar nessa altura no liceu e não só...

segunda-feira, Maio 14, 2007

Aniversário de baptismo

Pois é, já passaram dois anos...
Já falei um pouco sobre o meu baptizado aqui e aqui.

Só faltou dizer que o fato de baptismo foi o que a mamã usou 31 anos antes, depois foi usado pelo meu tio Rafael, por um primo deles e finalmente por mim.

Foto excluída.

Agora vou transcrever o que vos prometi na «nota» do post anterior.

By «tia» Rita in Livro de Honra do casamento dos papás:

«Dia 11 de Maio, o primeiro dia do resto das vossas vidas.
Agora é da vossa obrigação, passarem uma excelente Lua de Mel. Quando passarem os dias têm que se amar e ser sempre felizes (não se esqueçam que prometeram isso ao vosso amigo e celebrante. Neste dia as promessas são para se cumprir).
E como não podia deixar de ser vou deixar as coisas sérias de lado e começar com as asneiras do costume.
Daqui a uns tempos, vem o rebento, muito bonitinho, fofo, pequenino, a chorar a meio da noite, sem vos deixar dormir. O sacaninha só quer ser como o irmão dela e o cunhado dele, comer dormir, (...) e chora sempre antes e depois.
Ele começa a crescer e só quer Pokémons ou algo parecido. Mais tarde começa a querer sair e beber uns copos, para isso, pede o dinheirinho, que tanto vos custa aganhar. O pior é quando ele aparece com a namorada lá em casa todos os dias, ela chama-se Leonor ou Madalena, e só vai lá a casa cravar o jantar.
Como não podia deixar de ser, um dia casa-se, e lá estais vós a entrar com o cacau para a boda.
Isto é para saberem o que os vossos passaram. Sejam compreeensivos, metam o puto a trabalhar nas obras desde os 16 anos, ele que se desenrasque.
Felicidades aos noivos.
Rita»

Estava tudo a correr tão bem «tia» Rita, para que é que estragaste tudo no fim?
És uma brincalhona!...

De qualquer maneira aqui fica uma foto minha com ela... se a virem por aí, deêm-lhe uma palavrinha...
Foto excluída.

domingo, Maio 13, 2007

Frei Gonçalo...

Casou os meus papás e baptizou-me a mim dois anos depois.
Quando a mamã o conheceu era apenas Gonçalo.
Foi no liceu, nas aulas de Física-Química (disciplina que a mamã tinha em atraso), no 11º ano exactamente em 1992, ano lectivo (91/92) em que os meus papás começaram a namorar.
Através da mamã o papá conheceu-o também, uma vez que nessa altura frequentava o liceu no 12º ano (tal como a mamã).
Já nessa altura o Gonçalo dizia que iria ser padre...
«Sim, sim» - diziam todos.
«Ainda hei-de fazer o vosso casamento!» - dizia o Gonçalo.
Cerca de 10 anos depois, começou a investigação à sua procura.
Ela sabia que ele tinha ido estudar para o norte e que estava a tirar um curso relacionado com a vocação que sempre tinha sentido.
Mais tarde e de vez em quando, voltava e ia à igreja da zona de residência da mamã.
O tio Rafael como catequista perguntou por ele.
A «tia» Rita morava perto dos pais dele e conhecia a irmã.
Descobriu-se que estava nos Açores.
Arranjou-se o número do telemóvel.
Que sorte, tinha vindo ao continente e estava no Seminário da ***.
Marcou-se um encontro e, para explicar os motivos do telefonema:
«Estou a telefonar-te para te cobrar uma dívida antiga» - disse a mamã.
«Não me digas que te fiquei a dever dinheiro!...» - disse o Frei Gonçalo.
Informaram-lhe a data.
Na véspera do dia do casamento ia perdendo o avião...mas na hora certa estava na igreja.
Foi a cerimónia mais linda que alguma vez não presenciei (a não ser em DVD)!

Curiosidade:
Durante o casamento, na parte final e depois de um discurso lindo veio a parte em que os recém casados papás se deveriam beijar.
Como o Gonçalo não dizia nada, a mamã perguntou discretamente:
«Então e o beijo?»
«Isso é só nos filmes!» - disse ele enquanto se riam os três no altar e segundos antes de dizer finalmente: - «O noivo pode beijar a noiva.»

Fotos excluídas.

No perfil da mamã estão lá umas palavrinhas deste amigo dos papás...

Nota - Parece que alguém escreveu sobre mim (descrevendo-me quase na perfeição) no Livro de Honra do casamento dos meus papás, dois anos antes de eu nascer. Amanhã faço a transcrição.

sexta-feira, Maio 11, 2007

Ainda recordações do casamento

Ontem o papá trouxe 5 rosas vermelhas para casa... A mamã e o papá pediram-me para agradecer a todos os que de alguma maneira ajudaram a perpetuar o namoro deles e a torná-lo no que é hoje:
Todos eles/vocês estiveram no casamento dos papás, daí, segundo me contam, no casamento só haver gente muito jovem (o mais velho era o meu avô paterno).

Um agradecimento muito especial aos padrinhos de casamento dos papás:
Tio Rafael e Mónica (minha madrinha de baptismo também)
Vitória e Fernando
Fotos excluídas.

Tio Rui por teres filmado tudo, o que permitiu que os papás fizessem a edição de imagem (com direito a comentários, legendas, «fotos inesquecíveis», músicas preferidas, etc.) e gravassem um DVD. Uma verdadeira relíquia para a posteridade!

E ainda... Frei Gonçalo que foi importado dos Açores para vir fazer o casamento! Mas amanhã falo mais sobre ele.

Andei a bisbilhotar numa caixa grande que dizia «Recordações do nosso casamento» e descobri o «Livro de honra» que foi assinado pelos convidados durante o Copo de Água. Depois de ler tudo muito bem, resolvi transcrever algumas passagens inesquecíveis (amanhã há mais):

«Antes de mais, quero desejar-vos muitas, muitas felicidades, sorte e muito amor. Finalmente depois de tudo o que passaram estão juntos. Merecem agora depois desta caminhada, uma outra muito mais feliz. Que os anjos velem pelo vosso amor e que a vida vos sorria agora e sempre...
Com muito amor do Rafael»

(Este é o meu tio materno, está lá em cima ao pé da mamã e da madrinha)

Aulas de História e de Amor

Ontem o Papá foi buscar-me ao infantário, e no caminho para casa esteve a dar uma aula de História.
Disse-me que o ano de 1991 foi um dos anos mais marcantes para a História contemporânea, tendo contribuindo em larga medida para a minha existência. Até aqui não percebi nada.
Ele começou: Em 1991 caiu o muro de Berlim. Em 1991 deu-se o desmembramento da URSS. Em 1991 deu-se a 1ª invasão do Iraque.
Eu já estava quase a dormir, mas de repente o papá disse: Em 1991 o papá e a mamã conheceram-se e iniciaram uma história de amor que hoje comemora 5 anos de casamento.
Parabéns aos dois!
Continua no post abaixo... sim porque isto, foi-me contado pelo papá mas a mamã também me contou umas coisas...

Foi há 5 anos...

Fotos excluídas.
A mamã contou-me que depois do copo de água foram para *** para o hotel do ***. Chegaram lá perto das 3h da madrugada, vestidos de noivos.
O papá pegou na mamã ao colo e abriu a porta sem conhecer os cantos ao quarto.

Resultado: antes de acenderem a luz já tinham partido uma das flutes que estava num tabuleiro juntamente com o espumante!
Acho que no chão do quarto só havia vidros e arroz (que lhes tinha sido atirado).
Nessa noite comeram também morangos que levaram do copo de água...

Concretizaram um sonho que durou 10 anos e 7 meses.

Assim, os meus papás hoje comemoram as Bodas de Madeira ou Ferro.

Parabéns papás!

quinta-feira, Maio 10, 2007

O que o sono faz às pessoas!

Há umas noites atrás, apareci no quarto dos meus pais.
Fui pegado ao colo pelo papá e levado de volta para a minha cama. Como ainda era muito cedo para o biberão, custei mais a adormecer.
Fiquei um bocadinho ao colo do papá, que me pôs devagarinho na minha cama.
No final, passou-me a mão pela cabeça ao que eu disse zangado:
«Deixa o Tiago, vai pá cama!»

quarta-feira, Maio 09, 2007

«Bibon» versus «Biberão»

A mamã foi fazer o biberão e depois veio ajudar o papá a dar-me banho.
Como o biberão ficou quente demais ela deixou-o de molho no lavatório da casa de banho.
«Mãe, quero ver...»
«Queres ver o quê?»
«O bibon!»
«Não é bibon, é biberão. Diz lá.» - disse ela
«Birberão.»
«Não, bi-be-rão!»
«Biribon. Quero ver...»
«A mãe já te mostra, primeiro diz: bibe...biberão!»
«Bi-be-rão!» - disse eu finalmente.
«Ahhhhh! Muito bem» - disseram os dois em coro enquanto eu era finalmente pegado ao colo.
«Mãe» - disse eu lá de cima - «Olha o bibon!»
Adenda - O papá ontem chegou mais tarde a casa porque foi jogar à bola com os amigos.
Vinha com «dói-dói gande» num joelho.
Quando ele se sentou no sofá, eu pus-me de gatas a inspeccionar-lhe a ferida.
«O pai fez dói-dói no joelho. Mas marcou o golo, isso é que interessa!» - disse ele.
Eu... simplesmente... respondi...
«Acoteche!»
(Acontece!)
???

terça-feira, Maio 08, 2007

Fora com as meias!

O meus papás vestem-me sempre umas meias largas para eu dormir. Sei que é para o meu bem porque quando acordo de noite para ir ter com eles, convém-me levar alguma coisa nos pés.
Já há muito tempo que acordo sem elas e, quando chego de madrugada ao pé dos papás queixo-me logo «Iago não tem meias!».
A mamã sempre pensou que fosse eu que as tirasse sem querer, enquanto empurrava os lencóis com os pés...
Foi preciso no fim de semana, ao início da noite, o papá ir dar comigo sentado no tapete do meu quarto, completamente às escuras a puxar as meias.
«Onde estás filho?» - perguntou o papá quando percebeu que eu não estava na cama.
«Tou a tiar as meias!»
A mamã bem estranhou, na noite anterior, as meias aparecerem no chão, lado a lado, muito bem alinhadinhas...

segunda-feira, Maio 07, 2007

Prendas para a mamã

Além de eu e o papá termos levado a mamã a almoçar fora com tudo o que tem direito:
Fondue, birras, arroz espalhado pela mesa, bater de talhares no prato, etc...
Ainda ofereci à mamã uma prendinha muito bem embrulhada, que fiz no infantário:

(No cartão também ficou registada a frase de que já vos falei: «A mãe Cláudia vai à escola com o Tiago. A mãe faz festinhas ao Tiago e dá beijinhos.»)

Ora aqui está a minha obra de arte, COMPLETAMENTE desenhada por mim!

A legenda ponho em adenda quando vier do infantário mas como podem ver, não me esqueci do meu gato Sushi.

Adenda (18:54h)- Parece que eu sou o do meio (verde), a mãe está a amarelo, o pai está a azul e o Sushi está umas vezes a cor-de-rosa e outras a cor-de-laranja. Seja como for parece que há alguém a mais...

domingo, Maio 06, 2007

Feliz Dia da Mãe...

...mamã!«Era uma sementinha
Que o papá deu a alguém
Ficou numa barriguinha
A descansar muito bem

A sementinha foi crescendo
Dentro desse alguém
E um dia ficou gente…

Pumba

Eu nasci da minha mãe!»

(Este poema estava o ano passado colado no portão do infantário)

Amanhã publico a foto da minha prendinha para a mamã.

sábado, Maio 05, 2007

«Pesa» para a mãe

Foto excluída.
No infantário pediram às mamãs para trazerem uma foto onde estivessemos com elas.
Esta foi a nossa e a primeira a ser entregue.
A mamã disse ao papá (e eu bem ouvi) que devia ser para fazer a prenda para o Dia da Mãe... Bem se enganou! Teve uma bela «pesa» (surpresa).
Na quinta-feira ao final do dia, quando me foi buscar, na porta da sala estavam cerca de oito fotos (só) e a nossa «está a ser muito gabada» segundo a educadora...
Por baixo da foto estavam escritas umas palavrinhas que eu dediquei à mãe. Pedi à educadora para fazer de minha secretária, por isso ficou escrito com a letra dela:
«A mãe Cláudia vai à escola com o Tiago. A mãe faz festinhas ao Tiago e dá beijinhos.»
O cartão é que era pequenino porque senão eu teria escrito mais umas coisas como:
Obriga-me a arrumar os brinquedos, a limpar as paredes quando escrevo com moedas, a arrumar os ténis no armário, enfim...
Mas acho que é para isso que tenho um blog!

sexta-feira, Maio 04, 2007

Onde está o Tiago?

Agora não me vêem...
Foto excluída.
E agora vêem...

«É o Tiago a domire no tofá! Ali, é o Tiago!»

quinta-feira, Maio 03, 2007

Aproveitam-se logo!

«Mãe... abe o saco» (um dos sacos com as peças de um dos puzzles).
«Se faz favor» - diz ela (para eu repetir, claro).
«Faz favôe» - repito eu.
«Gosto muito da mamã» - continua ela.
«Gosto da mamã» - repito eu e vou-me embora a correr com o saco desapertado antes que a conversa continue com um...
«A mamã é linda»; «Não faço mais asneiras»; «Vou arrumar o quarto e limpar o pó...»
Sei lá, coisas destas!

quarta-feira, Maio 02, 2007

Bibes, bolsos e botões


Hoje de manhã, e por já não ir para o infantário há 4 dias, assim que vi os meus amigos e enquanto a mamã me vestia o bibe, comecei a soltar os meus gritos de guerra (mesmo nos ouvidos da mamã). Eles responderam e foi preciso a educadora se chatear para voltarmos a ter (algum) silêncio.

A mamã bem queria voltar a lembrar-me que «os botões do bibe não se arrancam» mas eu nem me conseguia concentrar em ficar quieto quanto mais a relembrar algo que ela me disse vezes sem conta (principalmente quando estava a cozer os botões e a remendar o bolso do bibe).

Pelo menos, tinha dois bibes e agora tenho três... Os papás lá resolveram comprar mais um para poderem guardar a «farda» do infantário, para que eu a possa levar nos passeios escolares. Assim, também posso ajudar, diluindo as marcas/manchas de tinta por mais bibes, ficando cada um menos manchado, certo?

Provavelmente, o meu bibe dos passeios, vai ser ligeiramente diferente dos outros, vai ter umas nuances de amarelo florescente...

Nota 1 - Conjuntivite? Qual conjuntivite?
Nota 2 - O meu/nosso blog vai fazer um aninho no final deste mês (dia 28), não se esqueçam de vir à festa... vai ser de arromba!

terça-feira, Maio 01, 2007

Visita ao castelo

No domingo fui com os meus papás visitar o castelo aqui da zona.
Assim que saí do carro reconheci-o logo:
«É do Shrek e da pincheja... e do burro...»
Procurei, procurei...
Até chamei pelo «dagão» quando passávamos por uns buracos protegidos por umas grades de ferro... fazia eco e tudo... mas nada!
Provavelmente foram passar o domingo fora...Estou ansioso para que chegue o Shrek 3, já vi o trailer na televisão...
A mamã diz que também não se importava nada de ver um Shrek diferente... está farta de ver os mesmos!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin