sexta-feira, setembro 08, 2006

O parto descrito pela mamã

Andei a vasculhar as pastas que a mamã tem no computador e às escondidas dela, lá encontrei um documento que se chamava: Evolução da gravidez do Tiago. Como não podia deixar de ser, fui bisbilhotar. Fartei-me de rir com as coisas que antecederam o meu nascimento, afinal até foi cómico...
Como estou quase a fazer dois aninhos, achei que era uma boa altura para vos contar como foi. Com um copy-paste, resolvi dar-vos a ler aos poucos este importante episódio da minha vida. Espero que gostem... e que se divirtam!

Não estava com vontade de ir para o hospital e passar por tudo aquilo que me contaram: horas com dores, vários enfermeiros a verem com quantos dedos de dilatação estava, etc. Afinal, era o primeiro filho e nada me faria crer que estaria menos de 7h a sofrer com dores.
às 23:30h do dia 11 de Setembro de 2004 rebentou finalmente a bolsa das águas, depois de cerca de 15 minutos a perder líquido amniótico aos poucos. Quando perdia água dava-me vontade de rir, estava feliz, foram 39 semanas e 1 dia à espera, e se me ria, perdia água. O Bruno quando viu que eu estava sempre a ir à casa de banho, até porque tinha que pôr o filme que tínhamos começado a ver em «pausa», perguntou: «Mas o que é que se passa?». Até porque não é normal uma pessoa vir a rir da casa de banho, ainda por cima enquanto está a ver um filme de terror chamado «O Regresso dos mortos vivos»... (Tínhamos acabado de ver o filme «28 Gramas»)
«Quando souber digo-te» ao que ele respondia «Mau...!»
Como lá para o 3º penso tive a certeza que estava a perder líquido amniótico, e com receio de ter repentinamente alguma dor que não me permitisse explicar o que estava a acontecer, coloquei o meu sorriso N.º33 e contei-lhe... «Mas tens a certeza?» Bom, nunca me tinha acontecido, mas penso que o Tiago estava quase a chegar.
Como tinha começado a contagem decrescente das tais 7h de espera, não tive pressa nenhuma. Já haviam alguns meses que tinha as contracções «de treino», e hoje não estava a ser diferente. As contracções eram de 15 em 15 minutos, mas não eram completamente insuportáveis, por isso, calculei que seria apenas para expulsar a água. Brevemente começariam a sério, talvez de 1 em 1 hora, e depois cada vez mais próximas e insuportáveis.
O Bruno levou as malas para o carro, assim poderiam lá ficar até de madrugada, eu poderia necessitar de ajuda para descer as escadas e com as malas não seria possível (3 andares sem elevador).
Enquanto ele foi e voltou tive que ir novamente à casa de banho mudar o penso. Quando me ia a levantar, rebentou a bolsa das águas, directamente para a sanita. À partida a água seria transparente, tal como a que tinha saído aos poucos, até então. Mas a água da sanita tinha corante azul... Tínhamos sido alertadas nas aulas de preparação para o parto para estar atentas à cor da água pois ela indicava o estado de saúde do feto.
O Bruno insistiu para que eu telefonasse para a enfermeira que dava as aulas. Era tarde, por que não esperar até às 7h da manhã, e quem sabe até mais tarde?... Às 23:43h e 8m30s de conversa depois veio o veredicto: «Como perdeu muita água, vá tomar um banho e prepare as coisas, lá para a 1h vá para a maternidade. De madrugada já está despachada!» Ela estava maluca, então eu ainda nem tinha começado com «as dores»...
Bom, arrumei a casa, dobrei a roupa que entretanto tinha secado e que estava pendurada nas cadeiras da cozinha, tomei banho enquanto o Bruno punha o DVD do filme a gravar. Ia ter que ser devolvido ao videoclube, e como, provavelmente eu não iria ter tempo de o ver todo, mais valia gravá-lo. Depois de tomar banho ainda pensei que voltaria à sala e veria mais um pouco...
Enquanto estive na casa de banho continuei a gritar «contracção» para que o Bruno pudesse ir apontando as horas num papel. Nunca mais começavam as contracções «lentas» e estas estavam cada vez mais paralisantes. Lembro-me que tinha que fazer «a respiração» e ficar estátua de 5 em 5 minutos.
«Se calhar eu também tomava banho» disse o Bruno quando eu saí. «Sim, toma banho e faz a barba, ainda temos tempo».
Enquanto ele esteve na casa de banho e eu me estava a vestir, lembro-me de ter que interromper o que estava a fazer e apontar as horas das contracções constantemente. Bom, se calhar ia ter que passar 7h a ter este tipo de dores, se calhar era isto...
«Não achas que as contracções estão muito próximas?» disse ele quando saiu da casa de banho.

Amanhã há mais...

7 comentários:

Anokax disse...

Epahhh isso n se faz..anda aki uma pessoa toda entusiasmada e pimba...amanha � mais
ehehehehe
COnta conta
Quero continuar a ler
jinhus

Anokax disse...

Xata? tas doida, tou a adorar ler quero � ver o resto, agora tou ansiosa :P
AI sinto-me previlegiada por ser a 2� a ver :)
Jinhus e escreve mais amanha sim?
J� te disse que o teu filhote � lindo n j�

mamã Xana disse...

Ai! Isso n�o se faz!
Agora vou ter que esperar at� amanh�!

Bjs!

Mamã disse...

Fico � espera do desenrolar da hist�rias....
Beijinhos

gaiatA disse...

At� me lembrei d0s desenh0s animad0s que eu via t0da entusiasmanda e chegava ao fim "n�o perca, p0is amanh� h� mais!!" .. grrrrrrrr!

Fico � espera d0 resto :) mas c0nta at� ao fim!!
Beijinho*

Ana Santos disse...

Com as �guas rebentadas e n�o foste logo para o hospital?
Dizem que depois das �guas rebentarem que j� n�o podemos sair mais da cama. (foi o que a parteira me disse neste ultimo parto).
bem tenho que voltar para saber o resto. gosto de ler relatos de partos.
beijinhos
ana e seus tesourinhos

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Espera la, afinal � assim tao certo? da perda das aguas at� o nascimento, sao sete horas? ou era um caso particular? tao interessante e juro que essa, eu nao sabia :=)

incrivel como te lembras tao bem dos detalhes sobre o dvd alugado, lol.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin